Blog

Godinho advogados fez 28 anos.

Godinho advogados fez 28 anos e tornou-se 100% digital.
Advogado Roberto de Souza Godinho – Sócio fundador.

A firma de advocacia “Godinho Advogados fez 28anos” e tornou-se 100% digital. Este é o segundo aniversário que comemora em plena pandemia do novo coronavírus. No último ano tivemos que nos reinventar da mesma forma que fizeram milhares de outras sociedades no Brasil e no mundo. O principal elemento foi o distanciamento físico, nunca o distanciamento social. A conciliação do distanciamento físico com a proximidade que sempre tivemos com nossos clientes não foi tão difícil assim pois já estava em nosso DNA.

A Godinho Advogados fez 28 anos e tornou-se 100% virtual.

Empregar tecnologia esteve sempre em nosso DNA da Godinho Advogados e aos 28 anos mais ainda. Nós fomos pioneiros em nosso ramo na substituição da velha máquina de datilografia pela elétrica, depois pelas eletrônicas e no final do século passado mudamos para computadores.

A Godinho Advogados recebia as intimações do judiciário pelo Diário de Justiça.

No início os advogados assinavam o Diário da Justiça que era entregue pelos Correios, impresso em papel, dezenas de páginas de jornal que a secretária analisava tentando não passar despercebida nenhuma intimação das varas judiciais para os advogados. Hoje utilizamos robôs para acompanhar o andamento dos nossos processos. Hoje a quase totalidade dos processos são eletrônicos.

A Godinho Advogados fez 28 anos com seu foco nas cobranças.

As cobranças podem exigir grande organização e alta automatização para a administração de grandes carteiras de recebíveis.  Porém, pequenas carteiras pedem um trabalho quase artesanal, sempre pessoal. Tickets de elevado valor merecem tratamento separado e profissionais muito experientes. Para atender essa diversidade da demanda, a Godinho Advogados dá tratamentos diferentes para carteiras e clientes diferentes.

Atendimento personalizado pela Godinho Advogados.

Um dos desafios da virtualização do escritório foi o atendimento aos que nos procuram sejam eles clientes, fornecedores ou amigos. Em uma rápida análise percebemos que as reuniões presenciais ficavam cada vez mais raras.  Os telefonemas estavam sendo substituído pelo WhatsApp, e-mail e outros meios eletrônicos de comunicação como o chat. O telefone fixo estava sendo trocado pelo mobile. As reuniões presenciais estavam sendo trocadas por reuniões virtuais. As viagens eram cada vez mais raras. Os trabalhos que exigiam deslocamentos para fora da sede começaram a ser substituídos pelo atendimento feito por advogados dos locais, no modo correspondentes. Surgiram os advogados correspondentes formando uma rede que abrange todas as comarcas do país.

O processo judicial também mudou.

O processo judicial ficou eletrônico as audiências virtualizadas, o papel foi abolido nos fóruns e nos tribunais. Os órgãos públicos se digitalizaram e as informações fiscais e administrativas foram virtualizadas. As pessoas buscam as lojas físicas com menor frequência e aumentaram as suas compras pela Internet. O ambiente que estava mudando lentamente acelerou com a pandemia da Covid-19. Essa virtualização já estava em nosso DNA e era chegado o momento de colocá-la em prática. Fizemos isso. Fomos todos trabalhar em casa e deu certo. Estamos assim já faz um ano e tudo funciona maravilhosamente bem, com auxílio da tecnologia.

Agora estamos todos trabalhando em casa.

O trabalho em home office trouxe flexibilidade e produtividade. Nós agora podemos morar e trabalhar onde desejarmos. No campo, na praia, em uma pequena ou grande cidade, em outro estado ou em outro país desde que tenha internet com boa qualidade. Já temos uma sócia que se mudou para outro estado, acompanhando seu marido, empregado em uma estatal e que foi transferido. Possibilitou o casamento de uma colaboradora cujo namorado morava e trabalhava em outro município. Não pretendemos voltar ao modelo antigo e perder tempo no trânsito, pagar aluguel de sede, energia, climatização, limpeza, etc.

Mantem o atendimento personalizado.

Em um determinado momento de nossa trajetória acreditamos que nosso destino seria ser um grande escritório de advocacia, mas logo vimos não ser a nossa vocação. Nós não abríamos mão do atendimento personalizado e sempre a partir de um dos sócios. Nós desejávamos sempre ter um sócio envolvido em cada caso. Nós não queríamos deixar de conversar com os nossos clientes e com nossos fornecedores. Nós não queríamos sócios que não conhecessem nossos colaboradores a fundo e também sempre acreditamos em um trabalho feito com muita qualidade. Essas características logo nos mostraram ser incompatíveis com uma grande sociedade onde na maioria das vezes o cliente ou o fornecedor nem conhece os sócios e os colaboradores os veem quando chegam ou saem, dentro de seus automóveis. Essa não era a cara da Godinho Advogados. Decidimos permanecer com tamanho médio e seguir nossa vocação.

Visite o nosso blog, tem muito post legal.

Selecionamos alguns posts para você:

Recusa à vacina obrigatória justifica demissão por justa causa.

Firma reconhecida, duas testemunhas ou assinatura digital?

A força da cobrança extrajudicial feita por advogado. 

A cobrança vexatória.

A importância de um título executivo na cobrança.