A cobrança extrajudicial é um serviço que visa entregar ao cliente agilidade na recuperação de seus ativos financeiros aliado a um elevado percentual de sucesso e a reconquista do cliente inadimplente para novas compras. Além disso é um serviço mais barato que a cobrança judicial e muito mais célere.

 

Fatores Chave

A Cobrança extrajudicial é um procedimento administrativo que busca de forma negociada obter um acordo com um devedor inadimplente para solução da dívida. Utiliza profissionais especializados em negociação. Não tem poder coercitivo mas se apoia em argumentos que podem e devem dar motivos para levar o devedor a solver sua dívida. Alguns argumentos são a inscrição nos serviços de proteção ao crédito e os benefícios de não constar nessas listas, no protesto, na possibilidade de uma ação judicial com possibilidade de expropriação de bens, de valores em conta corrente ou de ativos financeiros de outra natureza. O negociador busca mostrar ao devedor as vantagens de pagar sua dívida e as desvantagens em permanecer inadimplente. Não é indicada para devedores que deliberadamente resolveram não pagar. Nesses casos o negociador experiente recomenda, sem demora, a cobrança judicial. Ao contrario da cobrança extrajudicial, a cobrança judicial possui poder de coerção, obrigando o devedor a solver seus créditos.

A agilidade na cobrança extrajudicial deve-se a alguns fatores tais como o fato de ser processada apenas em âmbito da assessoria, através de procedimentos simples e eletrônicos que propiciam um acionamento quase que imediato do devedor. Os devedores podem ser divididos em três categoria. Os que devem, querem pagar e possuem alguma condição de pagar a dívida. Nesse caso o negociador busca uma condição de pagamento possível ao devedor e aceitável pelo credor.

Um segundo tipo é o do devedor que apesar de querer pagar a dívida no momento não possui condições. Atualmente são em numero muito elevado devido ao alto desemprego. O negociador busca acompanha-lo buscando o ponto em que obterá condições de pagamento e então fecha um acordo. O terceiro tipo é o do devedor que apesar de dever não tem intenção de pagar. É o famoso caloteiro que muitas vezes usa o nome de parentes e de amigos para continuar comprando. Esse devedor não deve ser cobrado extrajudicialmente pois será pura perda de tempo. O negociador experiente ao identifica-lo irá encaminhar ao setor jurídico para análise de viabilidade de ação judicial. Com um acionamento rápido, uma boa análise da dívida e do devedor, a recuperação dos ativos é sempre muito mais rápida que por meios judiciais.

O elevado percentual de sucesso obtido na cobrança extrajudicial é sempre decorrente do tempo de vencimento da dívida. Quanto mas recente maior será o percentual de êxito. O gráfico abaixo mostra isso:

 

Evidentemente que os dados exprimem a realidade de uma assessoria onde os créditos inadimplidos chegam depois de terem sido trabalhados internamente pelos departamentos financeiros das empresas. Os estudos indicam que, nos primeiros trinta dias, 95% dos créditos inadimplidos são solvidos ou encaminhados para uma solução. É sobre os 5% restantes que o gráfico busca demonstrar e fica evidente que quase metade podem ser recuperáveis, se encaminhados para a assessoria logo após 30 dias do vencimento. O custo da assessoria é muito baixo e sempre menor do que o custo de manter a cobrança internamente. Em nossa assessoria, em alguns clientes que observam a regra dos 30 dias, obtemos sucesso em mais de 80% dos valores encaminhados para cobrança de forma amigável e rápida.

A reconquista do cliente deve ser sempre uma das preocupações de uma cobrança inteligente. Afinal, clientes não são conquistados com facilidade. O objetivo da cobrança deve ser sempre o de solver a dívida e manter o bom cliente, temporariamente com dificuldades, comprando seus produtos ou utilizando os seus serviços. Práticas como maus tratos, juros e multas muito elevados, honorários exorbitantes, irão afastar o cliente que após solver sua dívida irá buscar outro fornecedor que em eventual novo atraso nos pagamentos cobre encargos moratórios menores. Um tratamento adequado muito embora firme, encargos adequados aos praticados pelo mercado, flexibilidade na forma de pagamento são fatores que visam recuperar os créditos e manter o cliente, geralmente agradecido.

A cobrança pela assessoria custa menos que  a cobrança interna feita na própria empresa titular dos ativos e muito menos que a cobrança judicial, além de mais célere que esta ultima. Na cobrança interna existem os custos operacionais com colaboradores e equipamentos, sem contar o custo dos meios de comunicação. Na cobrança judicial, temos lentidão nos procedimentos, custos com taxas judiciais, custo com profissionais em outras localidades, deslocamentos, etc. Normalmente os honorários da assessoria ficam por conta de valores devidos pela mora e estipulados em contrato tais como juros e multas. Raramente e em casos excepcionais, o valor dos honorários da assessoria sacrificam o valor do principal. Nesses casos sempre com a devida autorização do cliente titular dos créditos.

 

Celeridade na recuperação de ativos deve-se a agilidade dos procedimentos de cobrança, baixa burocracia, experiência no gerenciamento de cobrança, negociadores bem treinados e experientes. Normalmente o devedor está pagando alguns fornecedores. Raramente para completamente com os pagamentos. Cabe a assessoria através de seus negociadores buscar os motivos para priorizar o pagamento pelo devedor. O conhecimento do devedor e de seus motivos para a inadimplência, também o conhecimento da relação do devedor com o credor e um bom posicionamento estratégico são essenciais para conseguir que o devedor priorize o pagamento em detrimento de outros credores. A celeridade na recuperação dos ativos financeiros é fundamental e determinante para a saúde financeira da empresa. Uma carteira expressiva de créditos inadimplidos forçará o gestor financeiro a financia-la com recursos de outra origem que não os provenientes do contas a receber. Lembrando que o dinheiro custa caro no Brasil, permitir alta inadimplência normalmente não é um bom negócio, salvo exceções.

Dúvidas?

Se tiver dúvidas sobre Cobrança Extrajudicial envie-nos sua pergunta. Teremos prazer em elucida-las.






Seu navegador está desatualizado!

Atualize seu navegador para ver este site corretamente.Atualizar meu navegador agora

×